As opiniões emitidas neste blog, salvo aquelas que correspondem a citações, são de responsabilidade do autor do blog, em nada refletindo a opinião de instituições a que o autor do blog eventualmente pertença. Nossos links são verificados permanentemente e são considerados isentos de vírus. As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

sábado, 30 de outubro de 2010

Simulado ENEM 2010 (1)

Clique AQUI para acessar o Simulado (1) para o ENEM 2010.
O gabarito encontra-se no final do simulado.
(Simulado aplicado no Núcleo De Aprendizagem em Setembro/2010)

Congresso vazio, mas torrando dinheiro!

Acabo de ler na Folha de S.Paulo, o texto seguinte (grifos por minha conta e link aqui):

Mesmo vazio, Congresso custa R$ 1,9 bi a contribuinte

MARIA CLARA CABRAL
FERNANDA ODILLA

DE BRASÍLIA -
30/10/2010

Mesmo vazio, o Congresso Nacional custa caro ao contribuinte. De julho a outubro, quando votações e debates são próximos de zero, houve R$ 1,9 bilhão de despesas de todos os tipos.
Chamado de "recesso branco", a paralisia do Legislativo acontece de dois em dois anos por causa das eleições. Além deste período com pouco trabalho, o recesso constitucional continua: em julho e no final do ano. Ou seja, são cinco meses de trabalho escasso.
Na Câmara, por exemplo, não há nenhum tipo de votação desde 7 de julho. Duas tentativas de reunir deputados em Brasília durante esse período fracassaram.
Já no Senado, houve apenas uma semana de esforço bem sucedido, em que foram realizadas votações.
Os congressistas que estão em campanha nos Estados recebem normalmente. E o pagamento de horas extras também continua.
DEMANDA PEQUENA
Funcionários de gabinetes e do plenário ouvidos pela Folha admitem que a demanda de trabalho é pequena. Alguns comparecem apenas para bater ponto.
Na Câmara, em muitos dias nem sessões de discursos conseguem ser abertas por falta de deputados. Parlamentares e a assessoria de imprensa da Câmara e do Senado alegam que as necessidades continuam e que o Congresso não pode fechar.
"A demanda migra para a análise de projetos e para as áreas administrativas. Os assessores aproveitam para colocar em dia seu trabalho", diz o vice-presidente da Câmara, deputado federal Marco Maia (PT-RS).
Outra alegação é de que setores como o departamento médico, a polícia legislativa e funcionários do setor de visitação, que dão suporte aos turistas, precisam manter seu trabalho, inclusive em períodos fora do expediente - daí a explicação do pagamento de horas extras.
Um outro ponto que contribui para o esvaziamento do Congresso: os políticos que são candidatos costumam "transferir" seus funcionários de gabinete para trabalhar nos Estados durante a campanha política.
Estes funcionários de confiança continuam recebendo normalmente o salário.
GASTOS
Para se ter uma base de comparação de como os gastos continuam altos no recesso branco, em agosto, o Senado custou, segundo o site Siga Brasil, mais de R$ 291 milhões aos cofres públicos.
Valor superior ao de fevereiro (cerca de R$ 235 milhões), mês de atividade normal. Já na Câmara, ainda de acordo com o portal, em março foram pouco mais de R$ 230 milhões, valor inferior ao do último agosto: R$ 268 milhões, quando não houve atividade.
Os gastos desses quatro meses também são representativos se comparados com os Orçamentos de 2010. No período, a Câmara custou cerca de R$ 998 milhões do total de R$ 3,8 bilhões destinado ao órgão no ano. Já no Senado, foram cerca de R$ 908 milhões de um total de cerca de R$ 3 bilhões. 

Natureza na Lagoa Paulino

Basta ter um olhar atento para enxergar a beleza às vezes improvável. Sete Lagoas tem muitas belezas, mas precisamos cuidar melhor delas.

[CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIAR]

Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Abraço Rosa na Lagoa do Mucury

Está acontecendo, nesse momento, o Abraço Rosa na Lagoa do Mucury, como parte do evento patrocinado pela Associação Comercial e Industrial de Sete Lagoas e  a Secretaria Municipal de Saúde. O movimento visa conscientizar sobre a necessidade de diagnóstico precoce e tratamento para o Câncer de Mama, dando início a uma campanha que procura arrecadar recursos para realização de cirurgias reparadoras em mulheres que sofreram mutilações devido ao câncer de mama.

 Concentração na feirinha às 18 horas. [Clique para ampliar.]

Abraço Rosa na Lagoa do Mucury às 19 horas e 15 minutos. [Clique para ampliar.]

Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Teoria das janelas quebradas (2)

Quem não leu o o texto anterior, clique aqui.
A foto abaixo é apenas mais um exemplo do que vem acontecendo na cidade (em várias cidades, aliás). O patrimônio público (e dos cidadãos) vai sendo destruído aos poucos. Se as providências não são tomadas imediatamente, os vândalos têm a oportunidade de "ampliar sua arte", mostrando para mais pessoas que "fui eu que fiz". O mesmo raciocínio se aplica a pichações. E por aí vai.

[Clique na foto para ampliar.]

Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

NOVO ENEM no blog da Carolina

Carolina, minha ex-aluna, exalou um pouco de fúria contra o NOVO ENEM.  Vejam no blog dela clicando aqui. Com formação e informação em arquitetura e artes, a Carolina sabe muito bem o papel do lápis e o sentido do lápis no papel.
Ah, e viva a borracha, tão importante em nossas vidas.
Abração, Irônica.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

E o Boulevard? Aguenta???

Chegando a temporada de chuvas e volta a minha dúvida. O Boulevard sobre o Córrego do Diogo, em frente à Rodoviária, vai suportar o volume de chuvas. Um amigo, que estava no local durante a última chuva me garantiu que mais meio metro e obra teria "ido pras cucuias".
Eu tenho muita vontade de ir lá fotografar na hora de um pé-d'água, mas cadê coragem?!?!
Vamos ver, né?

domingo, 24 de outubro de 2010

F1 e chuva

Eu e uma meia dúzia de brasileiros estamos agarrados em frente à TV nessa madrugada... esperando o tal GP de F1 da Coreia do Sul. Chuva lá e a pista nova sem condições de receber a corrida. Milhares de desculpas esfarrapadas. E ninguém faz a pergunta chave: COMO É QUE A FIA MARCA A CORRIDA NOS PAÍSES PARA A ÉPOCA DE CHUVAS? Aliás, no caso específico do Japão, em época de tufão? Será uma forma de sugar mais dinheiro da organização da prova em cada país?
Aqui, no Brasil, o GP era em março (chuva)... aí mudou para outubro-novembro (chuva). Em pelo menos metade das corridas que fui em Interlagos (vou lá desde 1996 ininterruptamente) peguei chuva. Chuvinha, chuvão, chuva gelada... 
90% dos ingressos de Interlagos, se não for mais, são em arquibancadas descobertas. E tome chuva! E tome o risco de não ocorrer a corrida. Nem quero pensar nisso, mas é uma realidade. Não há circuito, muito menos em terra tupiniquim, que suporte chuva forte. Vira sabão!
O negócio é torcer para uma boa corrida e, principalmente, torcer para não chover!

É assim que ficamos na arquibancada quando chove. 
Quando a chuva é forte, nem dá para tirar foto.
Essa foto é do GP de 2003, aquele que terminou antes da hora.

Texto e foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

sábado, 23 de outubro de 2010

Reforma da Feirinha

Ano passado, por ocasião do aniversário da cidade, um minúsculo roteiro de comemorações foi elencado pela prefeitura. Entre os poucos eventos (apenas 5, se a minha memória e os registros dos jornais on line não falham), um era a "assinatura, no gabinete do prefeito, de convênio para a Feira de Artes e Artesanato, que terá novas barracas e banheiros químicos". Bom, as novas barracas demoraram sete meses para chegar e... surpresa... que bela madeira foi escolhida. Madeira não, compensado e da pior qualidade. Não bastasse o fato de algumas barracas ainda utilizarem os compensados antigos, os novos são péssimos. Não é isso que esperamos como presente para os artesãos da cidade. Depois alguém machuca a mão e vão falar que foi descuido da vítima (isso se alguém já não machucou). Confiram as belezuras nas fotos abaixo (é só clicar para ampliar).


Fica a pergunta: chatura minha (que não tenho mais nada para fazer) ou displicência de quem é responsável por coisas tão simples?

Fotos e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Os dois buritis da Lagoa Paulino

Os dois buritis da Lagoa Paulino iluminados pelo sol de fim de tarde.
(Fotografados da Rua Paulo Frontin)

BURITI PERDIDO
Afonso Arinos

Velha palmeira solitária, testemunha sobrevivente do drama da conquista, que de majestade e de tristura não exprimes, venerável epônimo dos campos!
No meio da campina verde, de um verde esmaiado e merencório, onde tremeluzem às vezes as florinhas douradas do alecrim do campo, tu te ergues altaneira, levantando ao céu as palmas tesas, - velho guerreiro petrificado em meio da peleja!
Tu me apareces como o poema vivo de uma raça quase extinta, como canção dolorosa dos sofrimentos das tribos, como o hino glorioso de seus feitos, a narração comovida das pugnas contra os homens de além!
Por que ficaste de pé, quando teus coevos já tombaram?
Nem os rapsodistas antigos, nem a lenda cheia de poesia do cantor cego da ilíada comovem mais do que tu, vegetal ancião, cantor mudo da vida primitiva dos sertões!
Atalaia grandioso dos campos e das matas - junto de ti pasce tranquilo o touro selvagem e as potrancas ligeiras, que não conhecem o jugo do homem.
São teus companheiros, de quando em quando, os patos pretos que arribam ariscos das lagoas longínquas em demanda de outras mais quietas e solitárias, e que dominas, velha palmeira, com tua figura erecta, queda e majestosa com a de um velho guerreiro petrificado.
As varas de queixadas bravias atravessam o campo e, ao passarem junto de ti, talvez por causa do ladrido do vento em tuas palmas, redemoinham e rangem os dentes furiosamente, como o rufar de tambores de guerra.
O corcel lobuno, pastor da tropilha, à sombra de tua fronde, sacode vaidosamente a cabeça para arrojar fora da testa a crina basta do topete, que lhe encobre a vista; relincha depois, nitre com força apelidando a favorita da tropilha, que morde o capim mimoso da margem da lagoa.
Junto de ti, à noite, quando os outros animais dormem, passa o canguçu em monteiria; quando volta, a carne da preá lhe ensanguenta a fauce e seu andar é mais lento e ondulante.
Talvez passassem junto de ti, há dois séculos, as primeiras bandeiras invasoras; o guerreiro tupi, escravos dos de Piratininga, parou então extático diante da velha palmeira e relembrou os tempos de sua independência, quando as tribos nômades vagavam livres por esta terra.
Poeta dos desertos, cantor mudo da natureza virgem dos sertões, evoé!
Gerações e gerações passarão ainda, antes que seque este tronco pardo e escamoso.
A terra que te circunda e os campos adjacentes tomaram teu nome, ó epônimo, e o conservarão.
Se algum dia a civilização ganhar essa paragem longínqua, talvez uma grande cidade se levante na campina extensa que te serve de soco, velho Buriti Perdido. Então, como os hoplitas atenienses cativos em Siracusa, que conquistaram a liberdade enternecendo os duros senhores à narração das próprias desgraças nos versos sublimes de Eurípedes, tu impedirás, poeta dos desertos, a própria destruição, comprando teu direito à vida com a poesia selvagem e dolorida que tu sabes tão bem comunicar.
Então, talvez, uma alma amante ads lendas primevas, uma alma que tenhas movido ao amor e à poesia, não permitindo a tua destruição, fará com que figures em larga praça, como um monumento às gerações extintas, uma página sempre aberta de um poema que não foi escrito, mas que referve na mente de cada um dos filhos desta terra.

Observação 1: Esse texto estava na placa que ainda existe aos pés dos Buritis da Lagoa Paulino. Vandalizado, foi arrancado e nunca mais retornou ao local.

 Placa onde se encontrava o texto sobre citado acima. Foto tirada em 28/10/2010.
[Clique na foto para ampliar.]

Observação 2: Os 2 buritis da Lagoa Paulino são imunes de corte. 

Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

NOVO ENEM: PROIBIDO USAR LÁPIS E BORRACHA

Já comentei aqui e aqui sobre o NOVO ENEM. Pareço estar pregando no deserto... só pode. E agora vem o melhor, o suprassumo, a quintessência da insensatez. É PROIBIDO USAR LÁPIS E BORRACHA NA PROVA DO ENEM 2010! Taí a imagem, do comprovante de inscrição. Não é boato, não é invencionice, não é lorota. A turma do MEC/INEP pirou de vez!

[CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR]

Só para refrescar a cabeça, são 180 questões (90 por dia) e uma redação (no segundo dia). São 45 questões de ciências da natureza e 45 questões de ciências humanas no primeiro dia e 45 questões de português/língua estrangeira, 45 questões de matemática no segundo dia e uma redação. O tempo para cada questão (incluindo a transcrição do gabarito é de 3 minutos) e o tempo da redação é de uma hora. Agora, imagine fazer isso tudo a caneta (e preta, ainda por cima, pois é a cor permitida).
Abaixo, dois exemplos de questões da prova de 2009 que são ótimas para resolver a caneta em 3 minutos:
[CLIQUE NAS QUESTÕES PARA AMPLIAR]

Acho que posso rasgar meu diploma de licenciatura em biologia. Afinal de contas, na Faculdade de Educação da UFMG eu nunca vi ninguém orientar a fazer prova desse jeito.
Já posso até imaginar as instruções para o próximo ENEM: o candidato deverá  comparecer de toga branca e sem roupa íntima, os cabelos devem ser raspados com máquina 2 e as unhas devem ser aparadas no toco, os molares devem ser removidos e uma ressonância magnética será feita em todos os candidatos durante a prova (nos dois dias).

Texto e indignação: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Voltando do mar...

Clique para ampliar. Anchieta, Praia de Ubu, Espírito Santo.

Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Barack Obama: discurso sobre educação.

Arlington, Virginia, Setembro de 2009

"But at the end of the day, we can have the most dedicated teachers, the most supportive parents, and the best schools in the world – and none of it will matter unless all of you fulfill your responsibilities. Unless you show up to those schools; pay attention to those teachers; listen to your parents, grandparents and other adults; and put in the hard work it takes to succeed."

Numa tradução mais ou menos livre: 
No final das contas, nós podemos ter os professores mais dedicados, os pais mais zelosos e as melhores escolas do mundo - e nada disso terá valor a menos que vocês estudantes cumpram com as suas responsabilidades. A menos que vocês frequentem as aulas, prestem atenção a seus professores, aos seus pais, avós e outros adultos; e que se esforcem, como terão de fazer se quiserem ser bem sucedidos.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Dissertação de Mestrado

Minha dissertação de mestrado, defendida em 2002, tem o pomposo título: Análise comparativa da reprodução do mandi-amarelo, Pimelodus maculatus Lacèpéde, 1803 (Pisces, Pimelodidae), em dois trechos do rio São Freancisco, MG.
Abaixo, segue o resumo do trabalho. O trabalho completo pode ser acessado aqui. Ao final,  as principais conclusões do trabalho e uma das fotos obtidas em microscopia eletrônica, ilustrando a superfície do ovócito e sua relação com as células foliculares.



RESUMO
Estudou-se a gametogênese e a reprodução do mandi-amarelo Pimelodus maculatus em dois trechos do rio São Francisco, MG. Os peixes (185 fêmeas e 161 machos) foram capturados no período de julho de 1995 a junho de 1996. A época de reprodução foi estabelecida através da análise microscópica de gônadas e da freqüência relativa dos estádios do ciclo reprodutivo. Os testículos de P. maculatus possuem projeções digitiformes com região cranial espermatogênica e caudal secretora. A região cranial é constituída de túbulos seminíferos com células espermatogênicas contidas em cistos. Os espermatozóides são do tipo primitivo, com cabeça redonda (1,30 ± 0,13 mm), peça intermediária rudimentar e longo flagelo com arranjo axonêmico do tipo 9+2. Na secreção da região caudal detectaram-se glicoproteínas neutras, glicoconjugados ácidos carboxilados e sulfatados. Os ovócitos vitelogênicos são envolvidos por zona pelúcida com três camadas distintas e uma cobertura de material floculento (jelly coat). A zona pelúcida apresenta poros-canais onde microvilosidades dos ovócitos e das células foliculares estabelecem contatos. Os peixes encontraram melhores condições de reprodução no trecho a jusante do rio Abaeté, onde verificou-se maior incidência de machos e fêmeas em atividade reprodutiva. No trecho a jusante da barragem de Três Marias registrou-se elevada freqüência de fêmeas apresentando folículos ovarianos atrésicos e de machos e fêmeas em repouso reprodutivo. 


ABSTRACT 
The present study demonstrated the dynamic process of gametogenesis and the reproduction of the brazilian yellow-mandi catfish, Pimelodus maculatus from two areas of the São Francisco river, MG. Adult females (185) and males (161) were caught between July 1995 and June 1996. The reproductive season was established through the microscopic analysis of gonads and from the relative frequency of the reproductive cycle stages. The testes of P. maculatus posses finger-like protuberances with a spermatogenic cranial region and secretory caudal region. The cranial region is made up of seminiferous tubules with spermatogenic cells contained in cysts. The spermatozoa are of the primitive type, with a round head (1,30 ± 0,13 mm), rudimentary middle piece, and long flagellum with a 9+2 axonemal arrangement. In the secretion from the caudal region we detected neutral glycoproteins, sulphated and carboxylated acid glycoconjugates.  The vitelogenic oocytes are composed of a zona pellucida with three different layers and a covering of flaky material (jelly coat). The zona pellucida presents pore canals in which microvilli of oocytes and follicle cells establish contacts. Yellow-mandi catfish had better reproductive conditions in the area downstream from Abaeté river, where we found a higher incidence of males and females in reproductive activity. In the area downstream from Três Marias dam we registered a high frequency of females with atretic ovarian follicles, and males and females in reproductive rest. 

 Ultra-estrutura dos envoltórios ovocitários de O2. CI = camada interna da zona pelúcida;
CE = camada externa da zona pelúcida; CF = célula folicular; MIT = mitocôndrias; 

RER  = retículo endoplasmático rugoso; seta = membrana basal; TC = célula tecal; 
asterisco =  fibrilas colágenas. 15000X

CONCLUSÕES
  • O mandi-amarelo, P. maculatus, nos primeiros 34 quilômetros a jusante da barragem de Três Marias, apresenta alta  incidência de repouso reprodutivo em machos e fêmeas e grande freqüência de atresia folicular devido, provavelmente, a condições inadequadas para a reprodução. A jusante do rio Abaeté ocorre alta freqüência de P. maculatus em atividade reprodutiva e baixa freqüência  de atresia folicular, indicando condições favoráveis à reprodução.
  • A secreção produzida pela região caudal dos testículos de P. maculatus apresenta, nos dois trechos do rio São Francisco estudados, aspecto globoso e coloidal, contendo glicoproteínas neutras e glicoconjugados ácidos carboxilados e sulfatados.
  • A zona pelúcida dos ovócitos vitelogênicos de P. maculatus, em ambos os trechos do rio São Francisco, é constituída de três camadas e é coberta por uma capa gelatinosa delgada de material floculento (jelly-coat).
  • O período de reprodução dos  P. maculatus, especialmente no trecho a jusante do rio Abaeté, concentra-se no período de novembro a fevereiro.
Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior
Texto: Oliveira-Junior, R.L
Orientador e co-orientadores: Bazzoli, N., Rizzo, E. e Sato, Y.

domingo, 17 de outubro de 2010

Lagarta em Pau-Santo

Hoje, o meu sogro me lembrou desta foto. Realmente, o Onofre tem toda razão, não podia ficar fora do blog. Eu e ele encontramos esse "monstro" enquanto fazíamos uma caminhada na Serra do Cipó, na região do Chapéu do Sol. O bicho, para alguns, é muito feio. Mas para biólogo é uma de uma belezura só!


Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Mais flores da Serra do Cipó: Cerrado e Campo Rupestre

Que me perdoe, se eu insisto neste tema,
Mas não sei fazer poema ou canção,
Que fale de outra coisa,
Que não seja o amor...
(Antônio Carlos e Jocafi)

[CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR]

 Cerrado
 Pau-santo

Ananás

Pequizeiro

 Araticum (marolo)

Jambinho

Cagaiteira

Campo Rupestre


 Vellozziaceae

Lavoisiera campos-portoana (Melastomataceae)

Sempre-viva

Velloziaceae

Sempre-viva

Coccoloba cereifera (Polygonaceae)

Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O besouro rola-bosta

Os besouros "rola-bosta" são escaravelhos (Scarabaeidae) que rolam porções de fezes de outros animais (na foto abaixo, de cavalo) até que fiquem bem esféricas. Depois depositam ovos dentro das bolotas e escondem o material fecal em um local protegido (muitas vezes enterrado no solo). Suas larvas desenvolvem-se lá dentro, alimentando-se do material (eca!!!). Isso chama-se coprofagia (comer cocô).
Taí um rola-bosta flagrado no Parque Nacional da Serra do Cipó. O besouro resolveu empurrar uma porção um tanto quanto desproporcional. Dava até dó! Espero que ele tenha conseguido reduzir o tamanho para algo mais fácil de empurrar, como nessa imagem do bioblog Diário da Biologia (clique aqui).

[CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR]

Foto e texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Anu Preto (Crotophaga ani)

Pequeno vídeo mostrando a vocalização do Anu Preto no Parque Nacional da Serra do Cipó.

video
Vídeo: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Passarinhos mais livres ainda

CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR
CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR
Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Passarinhos livres

CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR
Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

"Neve" sobre a jabuticabeira

 [CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIAR]

E a boa notícia: ESTÁ NO MEIO DA RUA!!!

Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

PROPOSTAS DOS PRESIDENCIÁVEIS: O NOVO ENEM

Puxa vida! Tenho visto tanto papo furado nas propostas dos presidenciáveis, tanto no primeiro quanto agora no segundo turno, que está dando até sono. Argumentos circulares, dogmas e tabus (que permanecem dogmas e tabus pela superficialidade da abordagem), uma defesa da pauta meio ambiente que não implica em defesa do meio ambiente e vai por aí afora.
E até agora nenhum dos dois deu seu ponto de vista sobre o massacre que é o NOVO ENEM. Claro que a Dilma não vai tocar nesse ponto (afinal o NOVO ENEM é invenção do atual governo, aquele que faz tudo certinho). O José Serra parece que nem sabe que existe o NOVO ENEM, não sabe que é uma tortura psicológica (uma prova que diz que veio para substituir o "terrível" vestibular). E tem gente, muita gente, achando que o NOVO ENEM vai democratizar o acesso às faculdades: ilusão total! Só mudou a prova, gente, e mudou para bem mais difícil, podem acreditar. Se não acreditam, peguem a prova e resolvam no tempo proposto. 
Talvez, por achar que a prova é democrática, a oposição não esteja se manifestando como deveria. O PROUNI foi muito importante como forma de democratização do ensino superior, vi provas disso. Mas o NOVO ENEM não contribuirá em nada. A batalha pela vaga agora é em caráter nacional, Candidatos do sul do país poderão pegar vagas em cursos de status, como medicina, em qualquer faculdade do país. Depois de formados, voltam para o sul maravilha e deixam as outras regiões com defasagem de profissionais. E vão se acumulando invenções como Vestibular Seriado, cotas de inclusão para isso e para aquilo e bla bla bla. Já não se sabe mais, com antecedência de um ano, como será o processo seletivo de cada universidade. Não existem mais regras claras, limites, "marcos regulatórios".
Para quem não sabe, o NOVO ENEM é assim: 45 questões de ciências da natureza e 45 questões de ciências humanas no primeiro dia (4,5 horas de prova, 3 minutos para cada questão, incluído o tempo para passar as respostas para a grade); no outro dia 45 questões de linguagens, 45 questões de matemática e uma redação (5,5 horas de prova). Isso sem contar que os enunciados raramente são curtos, são cinco alternativas e uma média de 30 páginas por dia.
Será possível que nenhum dos dois tem uma proposta melhor de avaliação? Temos experimentado em nossa escola uma forma mais compacta com 20 questões de cada área e uma redação (em um único dia) e percebo que os percentuais de acerto são condizentes com o esperado dos alunos (as médias de acerto mantêm-se como em provas e simulados anteriores). 
O NOVO ENEM, nesse formato ou em qualquer outro só terá validade e será forma de inclusão se ampliarem muito as vagas nos cursos superiores ou derem maior importância e visibilidade para o ensino técnico profissionalizante. Dessa forma, o NOVO ENEM é apenas um massacre mais elaborado! Sem contar nos custos enormes para sua impressão e distribuição. Diminuindo o tamanho da prova, haveria uma queda importante nos custos sem prejuízo da avaliação dos alunos. Basta ver o modelo da primeira etapa da UFMG que trabalhava com apenas 64 questões e se mostrava como um bom processo seletivo. Se dá para fazer com 64, por que não tentar com 80? 180 parece um certo exagero.
Devo lembrar que, em princípio, sou favorável a uma prova nacional e um programa nacional.  Mas por que não uma lista de 3 obras literárias por concurso (onde se trocaria uma das obras a cada 2 anos)? Por que não publicar livros e apostilas (elaborados pelo MEC) e distribuir gratuitamente nas escolas públicas, disponibilizando-as também no Portal do MEC? Por que não dar mais transparência aos resultados da prova, apontando os tópicos avaliados com menor desempenho?
Vamos lá Dilma e José Serra. Procurem um Processo Seletivo melhor do que esse. Pelo menos folheiem as provas para perceberem a extensão do problema. Perguntem aos alunos e aos professores. Chega de contar apenas com as opiniões dos técnicos do MEC que estão confortáveis em suas poltronas giratórias, ar condicionado e cafezinho de hora em hora.

Texto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

domingo, 10 de outubro de 2010

Lixão (em todos os sentidos)

Fico na dúvida sobre qual o maior problema registrado nessa imagem:

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR (particularmente eu não aconselho)

(1) A falta de educação de quem joga o lixo no local.
(2) A falta de ação de limpeza pública que deixa o lixo acumular (mesmo com taxa do lixo e tudo).
(3) A solução genial de colocar uma placa no local. (Parece que a placa tem "olho-vivo": vigia, filma, sai correndo atrás do infrator, pega, dá um esculacho e aplica a multa.)
(4) A grafia das frases pintadas no muro (o menos grave por parte de quem pintou e o mais grave por conta do abandono da educação mínima formal - dever do Estado).

Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Estudo Hidrogeológico

Capturei o texto abaixo (mais o link) do Jornal Sete Dias, edição on line.

(CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR)

O estudo hidrogeológico é uma necessidade para o desenvolvimento de Sete Lagoas e um pedido antigo de todos aqueles que estudam a questão. Não podemos continuar enxugando o subsolo, lançando poluentes ou construindo em cima de quais rochas não sabemos.
Contudo, fica uma pergunta e eu gostaria que aqueles mais esclarecidos do que eu nesses meandros das licitações, concorrências e tomadas de preço me esclarecessem:

- Se o Termo de Compromisso Ambiental (TCA) que determinou a realização do Estudo Hidrogeológico já cita que o estudo está orçado em R$ 600 mil, como funciona a Tomada de Preços? Será uma Tomada de Preços ou a comparação das técnicas, resultados e análises?

Desde já agradeço os esclarecimentos.

Ramon Lamar de Oliveira Junior

Raios múltiplos!!!

Está aberta a temporada de caça aos raios. Com as chuvas chegando (e chegando forte), aumenta a expectativa pela ocorrência dos raios e relâmpagos. Óbvio que um raio é um espetáculo terrível da natureza,  uma descarga elétrica que pode ser fatal mesmo indiretamente. Mas visto a uma distância segura, não tem como deixar de admirá-lo.
Fotografar um bom raio está entre as ambições de todo fotógrafo. Seguem duas fotos de raios que particularmente gosto muito.

Raio-coração sobre Sete Lagoas, Minas Gerais.

Raio-maluco-doido-pirado na Praia de Ubu, Espírito Santo.

Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Podas Técnicas: bem feitas no padrão CEMIG

Pode parecer muito estranho, aliás é muito estranho, mas o padrão CEMIG para as podas das árvores próximas à fiação é esse mesmo. Verifiquem que não há preocupação em retirar as ervas-de-passarinho (desde que elas não atrapalhem a fiação)... e muito menos ainda, com a estética.

As podas da direita e da esquerda da imagem acima são do padrão "Bozo". 
A poda do centro segue o padrão "Corcunda de Notre Dame".

Precisamos, como já disse em outra postagem, de um Plano Municipal de Arborização. A situação dessas árvores exige que, aos poucos e de maneira pensada e transparente, sejam substituídas. Pretendo escrever mais sobre isso aqui no blog, argumentando tecnicamente e com imagens que mostram soluções para a arborização da cidade. É possível e nós precisamos disso. Precisamos aumentar a nossa arborização, mas de maneira correta e sustentável. Não podemos mais criar essas aberrações.

Texto e fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

Condomínios de João-de-Barro

Aqui mesmo no blog, na postagem "Mais sobre a Serra do Cipó" (aqui), coloquei uma imagem de casas de joão-de-barro lado a lado, uma virada em direção oposta da outra. Abaixo seguem dois condomínios de duas casas na Avenida Villa Lobos. Claro que, nessa  hora, postes de energia são utilizados para suportar as casas. Novamente, um dos condomínios tem as casas com as portas em posição oposta. No outro, que não deu para fotografar do lado das portas por causa da posição do sol (fico devendo), as portas estão na mesma posição.



Fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

domingo, 3 de outubro de 2010

Onda verde? Até onde vai a consciência ambiental dos nossos políticos?

Não bastassem os cavaletes amarrados nas árvores e postes ou em cima das praças, fora dos horários e fora dos dias permitidos (em tudo contrariando a legislação eleitoral)...


Foto: Ramon Lamar de Oliveira Junior

sábado, 2 de outubro de 2010

PERGUNTA SOBRE O STF

Amigos advogados, políticos e outros palpiteiros da área que porventura sigam o blog.  Como sei que vocês entendem muito mais dessas "gambiarras" jurídicas que eu, gostaria de fazer uma pergunta (perguntar não ofende).
Se o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL anulou o aparato legal que exigia a apresentação de dois documentos para votar, não voltamos à situação anterior, ou seja, basta o título OU o documento de identidade?
Ao que me parece, ao exigir apenas o documento com foto o STF legislou, coisa que não é da competência dele. O que acham?
Abraços,
Ramon Lamar de Oliveira Junior

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

SAPUCAIA AMEAÇADA DE SUPRESSÃO

dO Dr. Lairson Couto confirmou-me ontem que há um pedido de supressão da Sapucaia do fundo do Mercado Municipal e Casarão. Tal pedido vem provocando fortes dores de cabeça na Secretaria Municipal do Meio Ambiente. A construção de um edifício ameaça a árvore, protegida por legislação municipal que a torna IMUNE DE CORTE. Sete Lagoas só possui três árvores imunes de corte: a sapucaia em questão e as duas palmeiras-buriti das margens da Lagoa Paulino.


 A continar assim, em breve a imagem acima será só concreto e telhados.
 A matéria deve ir ao CODEMA. Fiquemos atentos.
Ramon Lamar de Oliveira Junior

Arborização Urbana, Planejamento e Podas.

Aconteceu ontem à noite no auditório Dr. Marcelo Vianna, no UNIFEMM, a abertura do Seminário de Arborização Urbana promovido pela SEMMA (Secretaria Municipal de Meio Ambiente). Os presentes tiveram a oportunidade de assistir duas palestras. A primeira abordou o Programa Especial de Manejo Integrado de Árvores e Redes - Premiar (CEMIG). A segunda, proferida por Pedro Mendes Castro, ex-presidente da  SBAU - Sociedade Brasileira de Arborização Urbana e atual presidente da regional sudeste da SBAU foi de grande clareza, amostrando muito bem a capacidade do palestrante.

Dr. Lairson Couto (Secretário de Meio Ambiente) e os palestrantes.

Apesar da velocidade das apresentações, inevitável pela complexidade do tema, dois slides em especial chamaram a minha atenção. Por trás dos slides, a sustentação do exposto por argumentos técnicos. Os tais slides tratam de uma modalidade de "poda radical" que remove o topo das árvores (destopa). A supressão de árvores pode ser uma alternativa bem mais viável, DESDE QUE ACOMPANHADA DO ESCLARECIMENTO TÉCNICO DA POPULAÇÃO. Observe os dois slides seguintes e a destopa executada ("com orgulho") em alguns exemplares de pau-ferro na Avenida Villa Lobos.



A questão da "poda" das árvores parece estar monopolizada pelas empresas de energia elétrica (entre elas a CEMIG). A gigantesca maioria dos argumentos dessas empresas refere-se tão somente a evitar a interrupção do fornecimento de energia elétrica e o "transtorno" provocado pelas árvores (e o prejuízo para os consumidores e para as empresas que são atualmente são multadas por interrupções prolongadas). Claro que a questão é importante, mas prefiro o discurso do Pedro Mendes Castro a respeito do PLANEJAMENTO em relação à arborização urbana. 
A verdade é que a arborização de Sete Lagoas e de 99% das outras cidades é caótica. As árvores são plantadas sem o mínimo critério técnico. Árvores nativas e exóticas são plantadas sem tipo algum de critério na maioria das vezes. Já passa da hora de elaborarmos um Plano de Arborização Urbana indicando espécimes que devem ser protegidos, espécies que devem ser suprimidas e proibidas nas calçadas (como Ficus benjamina e Ficus elastica) devendo ser substituídas por outras mais adequadas, espécies que devem ser substituídas após certa idade quando tornam-se propícias a quedas e planejamento de podas de desbaste, de condução, de remoção de parasitas. Tal ideia está em gestação na Secretaria de Meio Ambiente e fomos convidados para participar de sua elaboração. Importante também é a transparência na elaboração e implantação dessas ações, para evitar os "oportunistas de plantão" que só pensam em ganhar dinheiro vendendo mudas de péssima qualidade e plantando sem o menor critério. Já ocorreu em Sete Lagoas, certa vez, a plantação de milhares de mudas por empresas sem experiência na área... árvores foram plantadas ao lado de postes de iluminação, em calçadas estreitas... e por aí vai.

Texto e fotos: Ramon Lamar de Oliveira Junior

PS.: Sobre podas mal feitas, basta consultar os primeiros posts desse blog: aqui e aqui.