As imagens deste blog podem ser usadas livremente, desde que a fonte seja citada: http://ramonlamar.blogspot.com

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Regularização da APA Ribeirão do Paiol se aproxima de desfecho em prol da preservação ambiental

Após a realização de diversos estudos e audiências públicas, tramita na Câmara Municipal de Sete Lagoas o Projeto de Lei Complementar que regulariza a APA Ribeirão do Paiol em seu aspecto mais notável que o Zoneamento Ecológico-Econômico.

Mapa de Zoneamento da APA Ribeirão do Paiol

A APA foi instituída pela Lei Municipal no 5.748 de 18 de dezembro de 1998 como "Área de Proteção Ambiental do Ribeirão Paiol", localizada no município de Sete Lagoas/MG, ao norte de sua área urbana, perfazendo uma área de aproximadamente 8.961 hectares e um perímetro aproximado de 54,18 km. É importante salientar que, no presente momento, encontra-se em discussão o Zoneamento da APA e não seu perímetro, já definido na lei supracitada. Reduções do perímetro original, como cogitado por algumas pessoas durante a última semana, tem graves consequências. Essa redução ocorreu por exemplo com a APA Serra de Santa Helena e ocasionou a entrada do Ministério Público no processo com a aceita arguição de inconstitucionalidade dessa e de outras ações. Apesar da redução do perímetro da APA Serra de Santa Helena ter alguns atenuantes (como a "invasão" do Bairro Alvorada em terrenos da APA), a redução é juridicamente vista como incorreta dentro do "Princípio do Proibição do Retrocesso Ambiental" que  funciona "para mostrar que não se trata de uma simples cláusula, mas de um verdadeiro princípio geral do Direito Ambiental, na medida em que o que está em jogo é a salvaguarda dos progressos obtidos para evitar ou limitar a deterioração do meio ambiente."  (Para ler mais sobre tal princípio, clique AQUI.) 
As justificativas para a imediata regulamentação do zoneamento decorrem do fato que a sua ausência tem acarretado diversos problemas, como a existência de estradas vicinais em locais inadequados, ocupações irregulares da região, invasões, exploração agressiva dos recursos naturais e falta de fiscalização; isso sem contar a impossibilidade técnica da prefeitura emitir anuências em relação a empreendimentos de qualquer natureza que estejam instalados ou queiram se instalar na região em conformidade com a situação de uma APA.
Os estudos foram muito bem executados e acompanhados pelas instâncias estaduais que comemoram sua realização e aguardam sua implantação definitiva. Também o Ministério Público tem sido informado de todos os passos e acompanha o processo guardando a equidistância com os demais poderes, como lhe é peculiar.
A figura abaixo nos mostra que mesmo em uma região bastante antropizada, com comunidades instaladas como Estiva e Silva Xavier, será possível uma preservação nas Zonas Rural do Cerrado e Da Vida Silvestre de 4514 hectares, ou seja, mais de metade da área total da APA.


Certamente, nossos vereadores saberão enxergar o ganho ambiental para o município e o benefício pela regularização da situação de tantos moradores e proprietários de terra na região.

Ramon Lamar de Oliveira Junior

sábado, 19 de novembro de 2016

Número de Casos de Dengue no Brasil - Novos dados de 2016

Os dados abaixo são oficiais do Ministério da Saúde a partir dos boletins epidemiológicos emitidos com atraso aproximado de um mês ou mais da data atual. 
Observem bem o gráfico, com os dados de 2016 (trinta e sete semanas, ou seja, até 17 de setembro). A partir de agora o número de casos pode continuar aumentando mas em ritmo muito lento devido às condições desfavoráveis para reprodução do vetor, podendo voltar a aumentar no final do ano. 


OBSERVAÇÕES:

* Sobre Chikungunya: em todo o ano de 2015 foram 38.332 casos. Em 2016, nas 37 semanas analisadas, já são 236.287.

* Sobre Zika: em 2015 não encontramos os dados exatos (apenas a informação que começaram a ser observados a partir de abril e que a doença atingiu 19 estados. Algumas "estimativas" do Ministério da Saúde chegaram ao duvidoso número entre 500.000 e 1.500.000). Em 2016, nas 37 semanas analisadas, já são 200.465.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

AULÃO GRATUITO PARA CONCURSO DA PREFEITURA

Amanhã darei o AULÃO GRATUITO para os concursos da Prefeitura Municipal para Agente de Endemias e Agente Comunitário de Saúde. 
Ontem, quando cheguei na Faculdade, uma funcionária me perguntou "- Ramon, algumas pessoas ligaram para cá falando que ficaram sabendo que as inscrições para o AULÃO já se esgotaram e que ficaram chateadas. Como assim?". 
Obviamente fiquei surpreso pois as inscrições serão feitas no dia da aula, à tarde, mediante a doação de uma caixa de leite longa vida que doaremos para uma instituição que ajuda pessoas carentes. Se nem houve inscrição para o AULÃO como é que elas podem ter esgotado? 
As inscrições para o Concurso sim, estão esgotadas pois foram encerradas dia 11/11 depois de um adiamento.


sábado, 12 de novembro de 2016

E LÁ VEM MAIS BOMBA NO FANTÁSTICO SOBRE O ENEM 2016

Pela chamada da reportagem, algumas pessoas tiveram acesso ao caderno azul do primeiro dia e com meia hora de prova já estavam transmitindo as respostas para os candidatos. O pior é que temos que esperar até domingo à noite para saber desse caso!!! Ridículo!!!






quinta-feira, 10 de novembro de 2016

POLÊMICA NO ENEM 2016: ERROS DEMAIS NOS GABARITOS EXTRA-OFICIAIS (OU NO OFICIAL?)

O ENEM2016 foi um poço de polêmicas: invasões, fraudes, vazamento do tema de redação, uso de um tema de redação parecido com o de uma "prova fake" de 2015... e por aí vai. Então, vamos aproveitar e mudar o tempo verbal: foi ou é um poço de polêmicas? Passada a maior parte da discussão, faltando ainda a segunda e a terceira aplicações (PPL) uma coisa me chamou a atenção desde que os gabaritos extra-oficiais começaram a ser divulgados: discrepâncias. Depois vem a publicação do gabarito oficial e o que era provável se manifestou de forma inequívoca: erros demais, ou melhor, divergências demais. 
Abaixo, selecionei dois gabaritos extra-oficiais divulgados na internet por escolas consideradas ótimas, de renome nacional. Fixei nessas duas, que evidentemente não vou divulgar o nome, mas poderia ter escolhido outras versões de gabaritos ainda... com um número maior de divergências... contudo ligadas a sites e não a escolas físicas.

Clique nas imagens para ampliar.
Observem que, de acordo com os gabaritos da ESCOLA A e do MEC, há DUAS divergências no primeiro dia, ambas na prova de Ciências Humanas e suas tecnologias. E no segundo dia, de acordo com os gabaritos da ESCOLA B e do MEC, há OITO divergências, sete delas na prova de Linguagens e Códigos.
Desculpem, mas DEZ divergências eu acho muito e acho preocupante. E repito que, se eu tivesse escolhido outros gabaritos divulgados a divergência seria maior ainda (quem duvida é só pesquisar... é trabalhoso, mas dá para fazer).
O que está acontecendo? Se os professores, em grupo, estão tendo dificuldade de entrar em um consenso a respeito da resposta das questões do EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO (há controvérsias se alguns assuntos abordados são de ensino médio mesmo), como estaria então a situação dos alunos que não podem consultar nada ou ninguém durante a prova, não têm formação acadêmica e ainda têm o tempo contado e a responsabilidade de zelar pelo futuro profissional???
Abaixo, as dez questões sobre as quais pairaram as dúvidas acima. O tamanho de algumas delas talvez explique um pouco da dificuldade DOS ALUNOS em achar a resposta:











Ramon Lamar de Oliveira Junior

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Curso de Medicina em Sete Lagoas

Acabo de reunir-me com o Prefeito Márcio Reinaldo de quem obtive ótimas notícias sobre o Curso de Medicina em Sete Lagoas. As tratativas estão em adiantado estado, inclusive com a participação do prefeito eleito Leone Maciel. 
A prefeitura está dando todo o apoio para a instalação do curso que espera-se ocorra ainda no primeiro semestre de 2017, mesmo que seja necessário funcionar em local provisório antes da construção do novo prédio. E o mais interessante é o que se refere às tratativas para se garantir um certo número de vagas para os estudantes de Sete Lagoas e com ajuda de Bolsa de Estudos. 
Tudo indica que as instalações serão construídas em terreno doado pela prefeitura, nos mesmos moldes do que foi feito para a Faculdade Santo Agostinho, ou seja, em troca de bolsas de estudos. O terreno mais provável é próximo ao futuro Hospital Regional.
Se as provas forem em fevereiro, estarei de plantão para dar um curso de Química e Biologia para ajudar meus alunos na aprovação, resta saber o modelo de seleção, programas, datas...

domingo, 6 de novembro de 2016

Curso de Biologia e Química Pós-ENEM para candidatos aos vestibulares de MEDICINA.


Todas as aulas serão ministradas por mim. A primeira aula será no dia 9 de novembro, próxima quarta-feira: Biologia 19h00 e Química 20h45. Além da resolução de questões, poderão ser feitos resumos teóricos sobre pontos específicos dos programas. Ênfase para os vestibulares de Medicina. Informações e calendário das próximas aulas sempre na página www.professorramonlamar.blogspot.com

Ramon Lamar

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

MATERIAL GRÁTIS PARA ESTUDAR PARA O ENEM E VESTIBULARES

Aproveitem porque as apostilas de química e de biologia, bem como os slides de aulas e cursos especiais, só ficarão disponíveis para download nos próximos dias em:

www.professorramonlamar.blogspot.com


O material encontra-se na coluna da esquerda e na coluna central. Sem enrolação, sem links infinitos e sem vírus. Todos os direitos reservados. Proibida a adoção ou uso como material didático por professores ou escolas sem a expressa permissão do autor.

Prof. Ramon Lamar

apostilas para download
apostilas em pdf
apostilas para o enem
baixar apostilas gratis
material para o enem
apostilas de biologia
apostilas de química

domingo, 2 de outubro de 2016

Apuração e Resultado das Eleições 2016 em Sete Lagoas

100% DOS VOTOS COMPUTADOS
LEONE MACIEL É ELEITO PREFEITO DE SETE LAGOAS. 
PARABÉNS AO PREFEITO ELEITO.



VEREADORES ELEITOS POR COLIGAÇÃO

OS 20 CANDIDATOS A VEREADOR MAIS VOTADOS



GRÁFICOS DE DESEMPENHO DOS CANDIDATOS A PREFEITO

Em relação ao eleitorado: 160.413 eleitores.

Em relação aos votantes: 133.687 eleitores compareceram.

Em relação aos votos válidos: 103.781 eleitores escolheram um dos quatro candidatos.

Você pode comparar esses dados com o pleito de 2012 clicando AQUI.


------------------------------------------------------------------------------------------------------

Cálculo para a eleição de vereador

O preenchimento das vagas é feito segundo o cálculo dos Quocientes Eleitoral (QE) e Partidário (QP) e distribuição das sobras. 
As regras para aplicação dos cálculos do QE e QP e para a distribuição das sobras nas Eleições 2016 estão previstas na Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 23.456/2015, que dispõe sobre atos preparatórios do pleito.
Conforme o art. 147 da resolução, “determina-se o quociente eleitoral dividindo-se o número de votos válidos apurados pelo número de lugares a preencher, desprezando-se a fração, se igual ou inferior a meio, ou arredondando-se para um, se superior”. Isso significa que:

QE = nº de votos válidos da eleição/ nº de lugares a preencher

Nas eleições municipais, o número de votos válidos será dividido pelo número de cadeiras da Câmara Municipal.
Para exemplificar, vamos supor que o número de votos válidos apurados em um pleito de determinado município seja 119.000, e que existam 17 cadeiras a preencher na respectiva Câmara Municipal. Neste caso, o cálculo será o seguinte:

Nº de votos válidos = 119.000 / nº de vagas a preencher = 17, então QE = 7000


De posse do Quociente Eleitoral, é necessário calcular o chamado Quociente Partidário. Segundo o art. 148 da Resolução TSE nº 23.456/2015, “Determina-se, para cada partido político ou coligação, o quociente partidário dividindo-se pelo quociente eleitoral o número de votos válidos dados sob a mesma legenda ou coligação, desprezada a fração”. Ou seja:

QP = nº votos válidos recebidos pelo partido ou coligação / QE

Exemplo: se no mesmo pleito o partido recebeu 14000 votos válidos, o cálculo será o seguinte:

Nº de votos válidos recebidos pelo partido = 14000 / QE = 7000, então QP = 2


Após os dois cálculos, é possível concluir que o partido terá direito a duas vagas naquela Câmara Municipal, que deverão ser distribuídas entre os seus dois candidatos mais bem colocados.

#campanhacidadelimpasetelagoas

Puxa vida... nem eu acreditava que daria tão certo!!! Parabéns ao meu candidato a vereador Max Tadeu que levantou a campanha aqui em Sete Lagoas, parabéns ao TRE e parabéns a todos os candidatos que colaboraram para esse sucesso. É um começo de consciência ambiental...

Hoje, no momento da votação em frente ao portão de entrada da Escola Cândido Azeredo!!! (Foto: Ramon L. O. Junior)

sábado, 24 de setembro de 2016

Só matutando...

Agora o assunto é a reforma do Ensino Médio. Acontece que de 2009 para cá dois fenômenos impactaram violentamente o Ensino Médio e parece que ninguém está muito afim de discutir sobre isso. Afinal de contas, fez-se tanta propaganda de quão politicamente correto eles são que é quase uma heresia ir contra. Dois fenômenos que podem ter interferido bastante no fato das notas do IDEB não terem aumentado para a referida faixa de aprendizagem: O NOVO ENEM e AS COTAS PARA AS ESCOLAS PÚBLICAS. Não seria a hora, antes de propor e despropor saídas mirabolantes, de dar uma olhada nos efeitos dessas duas mudanças sobre o aprendizado e as notas dos alunos?

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Dois registros de beija-flores no Parque Nacional da Serra do Cipó

Fêmea do beija-flor de orelha violeta (Colibri serrirostris)


Fêmea do beija-flor de gravata verde (Augastes scutatus): endêmica do Cerrado Brasileiro e restrita aos campos rupestres da Cadeia do Espinhaço. Classificada como espécie "quase ameaçada" globalmente (BirdLife International, 2000), por possuir área de ocorrência limitada que sofre influência do ser humano.


Fotos: Ramon L. O. Junior
Identificação das espécies: Isabela Mendes Cardoso

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Fauna de Vertebrados da Serra de Santa Helena

Amigos,
estamos participando de um trabalho de levantamento da fauna da região da Serra de Santa Helena e que potencialmente possam estar presentes na Área de Proteção Ambiental Ribeirão do Paiol. Estamos organizando algumas idas ao local, mas para facilitar nosso trabalho em um tempo que será relativamente curto, fizemos um levantamento das espécies que têm sido citadas para a região. Esse levantamento envolveu listas de espécies preparadas em estudos de criação da APA Serra de Santa Helena, levantamentos feitos em EIA/RIMA de empreendimentos propostos para a região, registros fotográficos de várias origens e entrevistas com moradores e visitantes da área.
Certamente, muitas outras espécies podem ser acrescentadas e é com isso que contamos com vocês. A ictiofauna (peixes) deve ser bem maior do que a relatada, caso saibam ou tenham registro de outra ocorrência, por favor informem nos comentários. Acreditamos também que existam cágados na área e esse grupo de répteis também não foi citado.
Ficamos no aguardo de quem possa nos auxiliar.
Abraços!







segunda-feira, 18 de julho de 2016

Entorno da Lagoa do Mucury: cálculos foram feitos?

Realmente não entendi o motivo da retirada da calçada em redor da Lagoa do Mucury. O pessoal não vai respeitar "retirada de trajeto". Isso não existe! Novos trajetos podem ser traçados numa praça, mas retirada de trajeto já usado faz anos não dá certo. Sábado o pessoal estava andando tranquilamente em cima do gramado que foi colocado na orla da lagoa e não há como criticá-los. A "rua" central estava lotada e aquele caminho é mais do que natural. 


E ainda há um agravante: quando chover, a "rua" central ficou sem o escoamento de área para a parte baixa (da lagoa do Mucury), assim teremos mais uma lagoa... na rua. 
No trecho central, existem seis bueiros com manilhas de 30 cm de diâmetro para uma área impermeável de 3000 metros quadrados (incluindo as áreas laterais a montante)... mas lançam a água em uma coletora que não sei o diâmetro, o que pode restringir ainda mais a drenagem (por exemplo, se a coletora tiver 50 cm de diâmetro o efeito dos seis bueiros cai para 50%. Provavelmente veremos tal fato na virada do ano (quase sempre chove) ou no Carnaval (outra época rotineira de chuvas)... aí vai ser um amassa-barro só! 
Uma chuva de uma hora de duração, com 10 mm de precipitação total (chuva boa... nem muito fraca, nem tempestade) geraria um volume de 30.000 litros de água para ser drenado em uma hora. Se os seis bueiros tiverem a eficiência máxima, tal vazão deveria ser de pouco mais de 80 litros por minuto por bueiro. Mas se a coletora reduzir a eficiência (mesmo com diâmetro de 50 cm), sua vazão seria de 500 litros por minuto ou 8 litros por segundo. Bom, até aí parece estar tudo bem. Em fevereiro último, Belo Horizonte recebeu uma chuva de 40 mm em uma hora. Então, multiplique a necessidade de vazão calculada anteriormente por 4. Vamos ver como fica, né?
Sinceridade, acho que está faltando na prefeitura o contraditório. Alguém para sistematicamente dizer NÃO e estimular que se pensem outras alternativas. Isso é feito em algumas empresas e não é tão difícil assim. Mas tal "contraditor" precisa ter argumentos que devem ser ouvidos antes de serem rejeitados ou não.
Ah, e não venham com "isso é de agora", porque não é. Sete Lagoas sempre cometeu deslizes iguais ou piores que esses. Não tem essa história de "no tempo do prefeito tal era assim... ou era assado"... sempre houve erros similares. Alguns com mais impacto, outros com menos...
Quanto ao argumento de aumentar a permeabilidade, sim, temos que aumentar áreas permeáveis, mas desse jeito é bobagem (ou poderiam ter usado uma pavimentação permeável como bloquetes, por exemplo). Há vários locais da cidade que poderiam virar área de recarga com remoção do asfalto, inclusive diversas "rotatórias" desenhadas com trator!
Ah... para finalizar... vamos plantar árvores nas praças, pelo amor de Deus. Estou vendo praças e mais praças sendo inauguradas sem nem uma palmeira licuri.

Fotos e Texto: Ramon L. O. Junior

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Entrevista com o Cláudio Busu, atual Secretário de Saúde de Sete Lagoas.

Cláudio Busu é advogado, Especialista em Direito Público, já atuou como Secretário Municipal de Meio Ambiente em Sete Lagoas, Procurador do Município de Esmeraldas, Secretário Municipal de Saúde e Procurador Geral do Município de Ribeirão das Neves e atualmente é o Secretário Municipal de Saúde e Gestor do SUS de Sete Lagoas. Busu nos concedeu a rápida entrevista abaixo e nos enviou a relação das unidades de saúde de Sete Lagoas, sob responsabilidade de Prefeitura Municipal.
Blog: Busu, seu estilo de trabalho nos órgãos públicos é diferente, pois não se recusa a usar as redes sociais.  Para isso, é claro, é importante conhecer essas mídias e estar pronto para levar pedradas. Você acha que todos os gestores deveriam estar assim mais próximos dos cidadãos?

Cláudio Busu: Sim. Gosto da total transparência, mesmo que a resposta seja negativa, prefiro praticar essa interação. O homem público que não aceita críticas deve mudar de área.

Blog: Convicções religiosas à parte, e sei que você as tem, você enxerga os cargos públicos como uma missão a ser cumprida para além do horário de expediente?

Busu: Mais que uma questão religiosa, a gestão pública pra mim é uma vocação e não existe espaço para dúvida ou desânimo, faço tudo com amor.

Blog: Você se decepciona com as ações de alguns "amigos" e se surpreende positivamente com a ação de alguns "inimigos"?

Busu: Como já tenho mais de oito anos de Administração Pública, tive como uma das primeiras lições não criar expectativas, sendo elas positivas ou negativas.

Blog: Liberdade para falar é uma das cláusulas do seu contrato de trabalho como Secretário de Saúde?

Busu: Não diria que seria liberdade, mas sim transparência.

Blog: Como andam os repasses federais e estaduais para Sete Lagoas na área de saúde?

Busu: Irregulares e alguns atrasos, temos mais de oito milhões de reais de programas estruturadores atrasados.

Blog: E o Hospital Regional, podemos ter esperança para até daqui uns 3 anos ou a coisa ainda demora mais?

Busu: Sim. Eu acredito e estou trabalhando para viabilizar esse sonho.

Blog: A vinda do Curso de Medicina para Sete Lagoas acabou virando uma batalha jurídica. Em que pé está esse processo?

Busu: O Ministério da Educação está aguardando definição judicial, estamos esperando ansiosamente.

Blog: Agora uma pergunta técnica. Quais tipos de unidades de saúde temos em Sete Lagoas? 

Busu: São 8 Centros de Saúde, 46 Estratégia de Saúde da Família (EFS), 8 Farmácias, 1 Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), 3 Clínicas Odontológicas, 20 consultórios odontológicos (dentro das ESF’S), 1 Fisioterapia, 1 Laboratório de Coleta de Exames, 1 Saúde Auditiva, 3 CAPS (01 infantil, 01 adulto e 01 Álcool e Drogas), 01 Centro de Especialidades Médicas (CEM), 01 Centro Viva Vida (CVV), Vigilância Sanitária, Central Marcação, CEREST, Controle da Dengue, Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Rede de Frio, 3 Unidades de Urgência e Emergência (Hospital Municipal Monsenhor Flávio D’Amato, UPA III Dr. Juvenal Paiva e Pronto Atendimento Belo Vale). 

Blog: Busu, gostaríamos de agradecer a atenção em prontamente nos responder. Que mensagem gostaria de deixar para todos os que te acompanham e torcem pelo seu sucesso?

Busu: Eu tenho ciência das dificuldades que a saúde está passando e todos os entraves que encontrei, porém, dentro da minha limitação, vou tentar fazer a diferença. Dedicação e transparência são meus maiores compromissos.

Observação: O Secretário enviou-nos uma lista de todas as unidades de saúde de Sete Lagoas sob responsabilidade da Prefeitura Municipal que podem ser acessada clicando AQUI.

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Aproveite: Degustação de Livro de Química

Meus amigos Emiliano Chemello e Luís Fernando Pereira são co-autores do Livro Química da Editora Moderna. Eles me avisaram que está disponível, online, uma degustação dos livros para quem ainda não conhece a obra, em três volumes. A coleção é muito boa e segue as atuais tendências do ensino de química. O Emiliano é responsável pelo Grupo Professores(as) de Química, no Facebook. Luís Fernando frequentemente dá as caras no programa Bem Estar da Rede Globo onde explica alguns conceitos de química, principalmente relacionados com a saúde das pessoas. Luís Fernando também produz as aulas de química no Youtube do canal Química em Minutos... vale muito a pena conferir:
https://www.youtube.com/channel/UCDRffNMCIc_lgdqNirFCoGQ.

Seguem os links:
Volume 1, capítulo 2 - http://www.calameo.com/read/0028993272bde1d1b110c
Volume 2, capítulo 3 - http://www.calameo.com/read/002899327985f2e80cf5d
Volume 3, capítulo 2 - http://www.calameo.com/read/002899327b6551c6c37d6

Os livros físicos, tenho a coleção e segue a foto deles, aqui na minha mesa!   


Seguem também os contatos para quem estiver interessado em conhecer a coleção: Email: livro.quimica.moderna@gmail.com, ou diretamente com um dos seguintes canais de atendimento da Editora Moderna: 0800 17 2002 ou moderna@moderna.com.br. 

domingo, 10 de julho de 2016

ESTUDO PRELIMINAR DE PROPOSTAS DE INTERVENÇÃO NA LAGOA DO VAPABUÇU E NA LAGOA DAS PIRANHAS.

PERÍMETRO COMPARATIVO DAS LAGOAS

Lagoa da Boa Vista: 1300m
Lagoa do Vapabuçu: 1400m
Lagoa das Piranhas: 2200m

Projeta-se, nitidamente, um elevado custo para a urbanização das Lagoas do Vapabuçu e Piranhas nos mesmos moldes que foi feito na Boa Vista. Devemos ainda levar em consideração o estado do leito das duas lagoas que demandaria supressão extrema de vegetação palustre e destinação do sedimento.


PROPOSTA PARA A LAGOA DO VAPABUÇU

- Determinação da área da lagoa e respectiva APP.
- Arruamento da orla da lagoa com pavimentação com bloquetes.
- Demarcação de áreas no interior e margem da lagoa que serão preservadas ecologicamente como locais cercados para alimentação e reprodução da avifauna e ictiofauna.
- Aprofundamento do leito e remoção de sedimento em partes da Lagoa. Uso dos sedimentos para construção de ilhas ou ampliação de penínsulas.
- Construção dos taludes
   - Em parte com o enrocamento de rochas compactadas.
   - Em parte com estacas de madeira.
   - Em parte com a manutenção de margens naturais.
- Construção de comporta.
- Verificação da necessidade de aporte de água para manutenção do espelho d’água.



PROPOSTA PARA A LAGOA DAS PIRANHAS

- Determinação da área da lagoa e respectiva APP.
- Retirada de todas as fontes de lançamento de esgoto sanitário.
- Demarcação do perímetro da Lagoa e sua APP por meio de cercamento.
- Desassoreamento de parte do leito da lagoa que esteja impactado pela ação antrópica.
- Criação de um Parque Municipal na forma de uma ARIE (Área de Relevante Interesse Ecológico) justificada pela preservação da flora e fauna local, dos processos naturais de sucessão ecológica e possibilidade de pesquisas científicas na área.
- Construção de instalações para observação dos processos naturais, estação meteorológica, “laboratório” para separação de amostras e suporte a pesquisadores, píer e torre de observação.
- Verificação da necessidade de aporte de água para manutenção dos trechos de espelho d’água.
- “A Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) é uma região que possui características naturais extraordinárias ou que abriga exemplares raros da biota regional, preferencialmente declarada - pela União, Estados e Municípios - quando tiver extensão inferior a cinco mil hectares. Fazem parte da categoria III da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), "conservação das características naturais".
- As ARIE têm pouca ou nenhuma ocupação humana, constituída por terras públicas ou privadas. Sua finalidade é a manutenção dos ecossistemas naturais de importância regional ou local. Seu uso deve regular, a cada caso, atividades que possam pôr em risco a conservação dos ecossistemas, a proteção especial das espécies endêmicas ou raras, ou a harmonia da paisagem.”


Ramon Lamar de Oliveira Junior

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Lagoa Paulino: como resolver seus problemas ambientais e de qualidade da água.


Para resolver em definitivo os problemas da Lagoa Paulino precisamos:

1) Esvaziar totalmente a lagoa para que se possa:
- Remover o excesso de nutrientes depositados no sedimento.
- Aprofundar um pouco o leito da mesma.
- Desobstruir os minadouros que se encontram na orla oeste da lagoa (Av. Getúlio Vargas).
- Compactar o leito para impedir perda de água por infiltração após a remoção do sedimento (uso de argila).
- Construir nova comporta que permita que se troque a água do fundo da lagoa durante fortes chuvas e não a água da superfície.
- Mudar o peixamento para um que seja feito com espécies nativas, especialmente lambaris e traíras, e forma a remover as carpas que revolvem o fundo e ainda não deixam desenvolver as algas de fundo que seguram e estabilizam o sedimento.
2) Desobstrução a cada dois anos da galeria de águas pluviais do entorno da lagoa de forma a evitar a entrada de sedimentos durante fortes chuvas.
3) Troca da rede coletora de esgotos da Av. Getúlio Vargas no trecho entre R. Nestor Fóscolo e R. Monsenhor Messias onde ocorre um estreitamento da mesma (conforme informações do SAAE), evitando assim eventos que possam provocar transbordamento de matéria orgânica para a lagoa.
4) Proibição da lavação de carros na orla, pois os detergentes usados contêm fosfatos que pioram a qualidade da água por aumentarem a disponibilidade de nutrientes para proliferação de algas (eutrofização).
5) Reconstrução do talude pois a última reforma feita deixou muitas irregularidades (a construtora que ganhou a licitação desistiu da obra na metade e a prefeitura estava tocando simultaneamente a reforma da Lagoa da Boa Vista... e o tempo de chuvas não espera).
6) Revisão da dimensão da faixa de vegetação da orla da lagoa de forma a permitir um melhor trato daquilo que é plantado e um melhor controle de pragas que lá se estabeleceram (especialmente tiririca e erva-de-touro).
7) Análises periódicas da água para estarmos alertas a qualquer alteração potencialmente preocupante.

Com isso espera-se:

1) Resolver o problema da eutrofização (água verde, morte de peixes por falta de oxigenação, mau cheiro da água).
2) Ter um peixamento com espécies nativas que não provocam alterações adversas na lagoa.
3) Reestabelecer a presença de "vegetação enraizada", notadamente algas carófitas que ajudam a estabilizar o sedimento, mantendo a água limpa.
4) Prevenir novos problemas futuros.
5) Facilitar as ações de paisagismo da orla de forma a torná-lo mais limpo e de fácil manejo.

Situação das águas da Lagoa Paulino na manhã de 11 de julho de 2016. Observem os grandes blocos de algas no primeiro plano.
Ramon Lamar de Oliveira Junior